Category Archives: futurismos

oxigénio para as ideias

e uma forma animada de apresentar um livro.

“Where Good Ideias Come From” do Steven Johnson lembra que é tão necessário estar atento em solidão como em multidão.

E os ingredientes são: pensar, pedir emprestado palpites e partilhar ideias.

Modo de preparação: começar

livros, críticas & video

Ron Charles é o crítico de serviço do The Washington Post “Book World”.

Recentemente teve uma ideia bem divertida, filmar os seus comentários sobre alguns livros.

Pode ver aqui a sua apreciação sobre o romance que está a fazer furor nos Estados Unidos, “Freedom” de Jonathan Franzen

Livro da semana, 10

Continuando os meus passeios pelas distopias e com a ajuda de uma amiga, descobri o livro “Nós” do Evgueni Zamiatine.

Se estes temas o atraiem, este é mais um texto de referência e para saber mais leia aqui.

E nunca será de mais sublinhar o papel da Editora Antígona na publicação de textos ” insolentes” como o seu editor, Luis Oliveira, conta aqui.

Livro da Semana, 9

Ao desenhar o plano das minhas leituras, recuperei os meus exemplares do “O Admirável Mundo Novo” e do “Regresso ao Admirável Mundo Novo” do Aldous Huxley

O primeiro livro escrito em 1932 pareceu-me um pouco bizarro, como o próprio autor assumiu mais tarde numa das edições que prefaciou.
São nos apresentados dois mundos, em que digo eu, venha o diabo e escolha.
Mas apesar de tudo, recomendo a sua leitura, algumas das previsões ainda nos tocam e cria terreno para o “Regresso… que é constituido por ensaios, e que a mim me deixou sem fôlego.
Várias vezes tive que verificar a data de edição 1958, para confirmar que de facto Huxley conseguia prever o futuro… ou não tinha grandes esperanças sobre a natureza humana.

Se quer entender o que é essa coisa chamada progresso, estas leituras são um bom começo.

Recomendo também vivamente a leitura do “Contraponto” que é um excelente “espaço literário” de discussão de ideias.

Ray Bradbury

fez 90 anos e o blog “A Origem das Espécies” fez aqui uma festa.

Ray Bradbury o homem que escreveu “Fahrenheit 451” e…

A ler ou reler com urgência

e o livro?

Nicholas Negroponte também não perde a parada e anuncia aqui a morte do livro em suporte papel.

nós estamos mortos

Em Agosto de 2005 a revista Wired anunciava que “We are the Web”.

Recentemente, mais precisamente no último número, Setembro de 2010, anuncia que “The Web is Dead”.

Nicholas Carr, com o seu racionalismo, remata estas previsões com, “We are Dead”.

Enfim, guerras de alecrim e mangerona.